O plano de salvação conforme o Cristianismo

O plano de salvação começa e termina com Deus e o mistério da iniquidade. Na realidade, sem minimizar a pecaminosidade do homem, o enigma começa mesmo com Deus. Nenhum homem jamais leva o pecado tão a sério quanto Deus o leva. Da mesma forma, nenhum homem é capaz de sondar e entender o uso do pecado, pelo próprio Deus, como forma de trazer glória para Si mesmo.

Foi de acordo com a perfeita e soberana vontade de Deus que os céus começaram a existir. Foi de acordo com a perfeita e soberana vontade de Deus que uma parcela dos anjos criados ultrapassaram os limites e procuraram ser como Deus. Por isso, o pecado abrangeu todo o universo.

Foi de acordo com a perfeita e soberana vontade de Deus  que o mal foi ainda mais exposto perante o universo através da queda homem em Adão. Porque todos pecaram e  destituídos estão da glória de Deus. Em Sua perfeita vontade, Deus considerou o pecado como um meio adequado para demonstrar a Sua santidade, justiça e misericórdia.

A pergunta desconcertante da Bíblia não é: “Como Deus pode enviar bons homens para o inferno?”. É, antes, “Como Deus pode levar homens maus para o céu?” Como já dissemos, o mistério da iniquidade começa e termina com Deus. Ele não pode tolerar o pecado. Ele possui uma eterna repulsa pela pecaminosidade de sua própria criação. Por que Deus considera essa mesma pecaminosidade adequada para seus propósitos não é dado ao homem compreender. Como um teólogo disse: “Traga-me um verme que pode compreender ao homem, e eu lhe mostrarei um homem que pode compreender a Deus!” Isso não pode ser feito. Embora não possamos compreender por que Deus assim ordenou as coisas, podemos ter a certeza de que a revelação da Sua Palavra, como afirmada na Bíblia, diz que ele de fato ordenou. O homem sabe muito pouco.

No entanto, Deus, e somente Deus, resolveu o enigma que Ele mesmo expôs ao universo. Deus enviou Seu único Filho, Jesus Cristo, para viver uma vida perfeita e sem pecado, se qualificar como um sacrifício perfeito, obter uma perfeita redenção para que assim Deus se reconciliasse ao homem. Esta reconciliação é feita através da morte sacrificial de Jesus Cristo em favor dos pecadores ímpios; e pela imputação da justiça de Jesus Cristo a eles por meio da fé. Esta grande troca de Jesus Cristo fazer pelos pecadores o que Deus exige deles é chamada de Expiação Substitutiva.

O Evangelho é a Boa Notícia de que a justiça de Deus agora foi revelada. É uma justiça, pela parte de Deus, que cumpre os Seus próprios requisitos, a fim de receber os pecadores à Sua presença.  Ao fazer isso, Deus tem mostrado o quão mal é o pecado, a perfeição de sua natureza, a solenidade de sua justiça e Seu Amor misericordioso. De uma forma inconcebível para o homem, Deus demonstrou Sua Glória a um universo de espectadores e satisfez uma série de demandas celestiais que a humanidade conhece muito pouco.

Todo aquele que recebe a justiça de Cristo como sua própria através da fé na obra consumada no Calvário, é reconciliado com Deus e para este não há condenação. Qualquer tentativa de possuir o céu sob quaisquer outros termos é estritamente proibida e amaldiçoada. A justiça de Deus  recebida somente pela fé no sacrifício perfeito de Cristo, é incomparável. É o único Evangelho pelo qual podemos ser salvos! Oh pecador, corra para Cristo! Receba a Sua justiça como seu revestimento para a eternidade, ou então pereça…