Ateísmo, Amoralismo e Não-racionalismo

Ateísmo e Amoralismo

Em Abril de 2010, o eticista Joel Marks sentou-se em frente ao seu computador e escreveu uma confissão para os leitores da coluna “Moral Moments” na revista Philosophy Now. Sua confissão dizia que ele tinha feito algo imoral. Sua confissão era que ele não poderia ter feito qualquer coisa imoral, em qualquer momento de sua vida, pois não exista coisa como a moralidade. Ou, ao menos, isso foi o que ele concluiu. O autor de “Moral Moments” saiu do armário como uma “amoralista ‘. Como ele mesmo coloca na primeira parte do seu “Manifesto Amoral”:

Continuar lendo “Ateísmo, Amoralismo e Não-racionalismo”

Anúncios

Falhas dolorosas no estudo recente sobre religião e moralidade

Um estudo recente, liderado por Jean Decety, tem sido usado para sugerir que indivíduos seculares são mais generosos e morais que indivíduos religiosos. Na verdade, a pesquisa sugere que a moralidade é basicamente uma parte de nossa biologia e que a religiãoparece nos afastar dela. Assim, ele argumenta que uma cosmovisão secular seria o melhor para nós. Finalmente, ele afirma que os cristãos evangélicos não irão aceitar seu trabalho, porque eles “não querem ciência”. Mas há sérios problemas metodológicos com o estudo de Decety, problemas que um cientista social treinado deveria reconhecer, independentemente de sua cosmovisão.

As dificuldades começam quando Decety e seus co-autores usam uma medida conhecida como “o jogo do ditador” para determinar o nível de altruísmo entre os indivíduos. No entanto, é altamente questionável que este jogo possa realmente avaliar o altruísmo. Esta ferramenta, ao invés, pode medir a obediência ao instrutor do jogo.

Continuar lendo “Falhas dolorosas no estudo recente sobre religião e moralidade”