O que é o Evangelho de Jesus Cristo?

O Evangelho começa com Deus. Deus é justo. Deus é Santo. Deus não pode violar Seus atributos. Ele não pode fazer algo que O contradiz e isto é uma coisa boa. Seria terrível saber que este universo foi criado por um Deus onipotente que fosse mau, não é verdade? Seria completamente terrível. Por outro lado, a bondade de Deus apresenta um problema para nós. “Como assim?” você pode perguntar. É horrível saber que Deus é bom, porque nós não somos. (Romanos 3:12) O que um Deus bom faz com pessoas como nós que pecam contra Ele, contra a natureza e uns contra os outros?

Se um Deus justo simplesmente perdoasse os ímpios, Ele não seria mais justo. Se um Deus santo simplesmente chamasse o ímpio para ter comunhão com Ele, Ele não seria mais um Deus santo. A grande questão de toda a Bíblia é esta: como pode Deus manter seu caráter justo e ao mesmo perdoar o homem ímpio? Como um Deus santo pode chamar o ímpio para ter comunhão com Ele e ainda assim continuar santo?

A resposta se encontra na cruz de Jesus Cristo. Na cruz de Cristo temos uma revelação tremenda e única da completude dos atributos de Deus. Por Deus ser justo, nosso pecado não pode passar impune. Mas por Deus ser amor, Ele Se torna um homem em Seu Filho, entrando em sua própria criação para viver uma vida perfeita e ir até o madeiro para que os pecados de Seu povo sejam lançados sobre Ele e para que toda a ira de Deus – que os pecadores justamente mereciam – seja jogada sobre Sua cabeça. Essa foi a medida exata necessária para satisfazer completamente a justiça de Deus. Depois de sofrer, Jesus disse: “Está consumado!” (João 19:30). Isso quis dizer que Ele fez, sozinho, tudo aquilo que era exigido para satisfazer a justiça de Deus contra o Seu povo. Ele pagou o preço por completo. É muito importante entender que esses pecados não foram expiados porque circunstancialmente os Romanos pregaram Jesus na cruz, mas porque agradou ao Senhor moê-lO (Isaías 53:10). A ira de Deus deveria ter caído sobre nós, mas caiu sobre Seu único Filho amado. Ele sofreu na íntegra e morreu, pois, o salário do pecado é a morte (Romanos 6:23). No terceiro dia, Ele ressuscitou dentre os mortos (Lucas 24) para demonstrar que o perfeito sacrifício havia sido aceito pelo Pai. Ele agora está assentado à Sua direita (Romanos 8:34) e “não há nenhum outro nome dado ao homem pelo qual devamos ser salvos, exceto pelo nome de Jesus Cristo” (Atos 4:12). Ele é o caminho, a verdade e a vida e ninguém vai ao Pai a não ser por Ele (João 14:6). “Há apenas um Deus e um mediador entre Deus e o homem, Jesus Cristo o homem” (I Timóteo 2:5).

E afim de que sejam salvos, a Bíblia chama todo homem a se arrepender e crer no Evangelho (Atos 20:20-21). Mas o que significa se arrepender? No grego, a palavra arrependimento significa literalmente “mudança de mente/coração”. Você pode pensar que mudar a mente é algo bem superficial, mas a Bíblia define mente/coração como o centro de controle do ser humano; é o centro de controle de nossas vontades, emoções, intelecto e do processo de tomada de decisões. Então, o que Deus está dizendo é que, se você mudou a sua mente, tudo o mais mudará junto.

Deixe-me dar uma descrição perfeita de arrependimento. O apóstolo Paulo teve uma mudança de mente. Quando ele ia pelo caminho de Damasco, ele saiu com ordens para capturar cristãos (Atos 9:2). Por quê? Bom, porque Paulo pensava que Jesus de Nazaré era o maior blasfemo que já havia existido na face da terra. Era nisso que ele acreditava. Ele também acreditava que os cristãos eram uma seita terrível e que teria de ser destruída. Mas então, no caminho de Damasco, ele teve um encontro com o Cristo ressurreto (Atos 9:4-20). E o que aconteceu? Sua mente mudou. Toda a sua realidade provou-se errada. Tudo o que ele acreditava sobre a realidade, principalmente em relação a Deus, estava errado. Ele reconheceu que estava errado e começou a pensar completamente diferente. Ele agora pensava que Jesus era o Filho de Deus, e o tão esperado Messias. Ele agora pensava que os cristãos eram o próprio povo de Deus, o próprio Israel de Deus. E porque seus pensamentos mudaram, todo o restante mudou. Depois de ser batizado, ele começou a ministrar e pregar o Evangelho e a ser perseguido pela mesma fé que ele antes perseguia. Veja então que arrepender-se é perceber que toda a sua visão sobre a realidade estava errada e submeter-se aquilo que Deus afirma sobre quem Ele é e sobre quem você é.

E se fizermos isso, se de fato nos arrependermos, começaremos a reconhecer que não há absolutamente nada em nós que possa nos salvar. É por isso que a Bíblia chama todo homem a se arrepender e crer no Evangelho. O Evangelho dá as boas novas de que 100% de nossa esperança encontra-se na Pessoa e Obra de Jesus Cristo na Cruz. Nada em nós mesmos. Nem nossa salvação nem a manutenção dela podem ser atribuída a qualquer mérito nosso. A fé no Evangelho deve ser tão real que se alguém apenas sugerisse que você pudesse entrar no Céu por conta de alguma justiça própria, você ficaria enojado e responderia: “Não! Não! Blasfêmia! Eu sou salvo por apenas um motivo: Dois mil anos atrás, o Filho de Deus sofreu e morreu por mim”.

Em resumo, o Evangelho de Jesus Cristo afirma o seguinte: (1) Deus é justo; (2) o homem é radicalmente depravado e merecedor de toda condenação; (3) a fim de perdoar o homem, a justiça de Deus teve que ser satisfeita primeiro. E isso foi feito na cruz onde Cristo ficou no lugar de Seu povo, onde carregou os pecados deles, e foi esmagado sob o peso da ira de Deus contra eles. Ao morrer, Ele pagou o preço por completo, foi ressuscitado dentre os mortos, e (5) agora o homem pode ser salvo por meio do arrependimento e da fé em Jesus Cristo. E a evidência desse arrependimento salvífico, dessa fé salvífica, será a obra contínua de Deus conduzindo à santidade de vida pois “aquele que iniciou a boa obra, há de concluí-la” (Filipenses 1:6).

Para concluir, eu deixo algumas questões: sua mente reconhece as verdades bíblicas contidas nesse post? Você consegue enxergar que os pecados que comete são uma ofensa a Deus, que eles formam justa causa para condenação eterna e que até mesmo suas obras de justiça são como trapos de imundícia perante Ele? Se não, então você está em um estado de supressão da verdade (Romanos 1). Esse é o mesmo estado que se encontra um(a) esposo(a) que não consegue admitir a infidelidade do cônjuge mesmo quando múltiplas evidências são apresentadas. No fundo, ele sabe que é a verdade, mas deseja tanto que não seja que acaba suprimindo-a. De maneira semelhante, por causa da nossa rebelião pecaminosa contra Deus, suprimimos a verdade que está evidente tanto dentro de nós quanto ao nosso redor e afirmamos que não O conhecemos e/ou que não somos tão maus assim. Se você permanece nesse estado, a condenação eterna é certa (João 3:18). No entanto, se você concorda com a mensagem que foi apresentada, isto pode ser evidência da obra de regeneração de Deus em seu coração, assim como Ele fez a Lídia na era apostólica (Atos 16:14). Se você de fato compreende essas verdades, isto é, se você nasceu de novo, a fé na suficiência do sacrifício de Cristo é o único caminho possível a se seguir. Creia nEle, junte-se ao povo de Deus, e comece a viver desde agora a vida em abundância que Ele prometeu (João 10:10).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s