O mito das 30 mil denominações protestantes

Se você já teve a oportunidade de ouvir um relato de conversão de um ex-protestante que se tornou católico, você já deve ter ouvido o argumento. Se você lê os debates online, já o viu sendo repetido ad nauseum. O argumento é mais ou menos o seguinte:

Existe apenas uma igreja verdadeira: a Igreja Católica Apostólica Romana! Olhe agora para o protestantismo! Quantas denominações vocês tem? Mais de 30 mil, e a cada dia surgem mais! Sabe porque? Por causa do Sola Scriptura!

Erro 1 – Lógica Básica

Antes de verificar a fonte desse argumento e os problemas a ela associados, devemos deixar claro que todo o argumento apresentado é simplesmente falso. Falha miseravelmente em cada nível possível. Os saltos de lógica e argumentação são vastos, mas vamos apenas focar em dois dos problemas mais óbvios.

Em primeiro lugar, como é que o apologista católico romano pode demonstrar que o Sola Scriptura é a real causa dessas divisões? Por exemplo, quando vemos divisão nas diversas classes da ICAR, encontramos fortes divergências sobre questões-chave. Será que podemos concluir então que o magistério romano é o culpado pelas diferenças de ponto de vista? Creio eu que não. Se um cristão acredita que a Escritura é regra suficiente de fé, como é que se pode chegar a conclusão de que um abuso dela possa ser um argumento contra sua suficiência? Não é uma consequência lógica. As Escrituras podem ser perfeitamente suficientes, mas os homens ainda são pecadores. Os homens ainda são imperfeitos. Os homens ainda são ignorantes. E, mais importante, os homens ainda têm as suas tradições. Dessa forma, enquanto os apologistas romanos fingem que o real culpado pelas divisões seja o Sola Scriptura, essa suposição se mostra insuficiente para provar o argumento.

Em segundo lugar está a observação (dolorosamente óbvia) de que apenas uma pequena porcentagem das igrejas “protestantes” de hoje conscientemente se interessam em professar a doutrina do Sola Scriptura. Para falar a verdade, um grande número de igrejas não-católicas abraçam diversos tipos de conceitos que claramente violam o Sola Scriptura. Então, como é que se pode responsabilizar o princípio pelas ações daqueles que nem mesmo acreditam nele? Obviamente, não podemos culpar o Sola Scriptura! Na realidade, as igrejas que procuram de fato professar, confessar e aplicar o Sola Scriptura são significativamente mais próximas em sua teologia do que aquelas igrejas que procuram uma fonte externa e inspirada de interpretação e revelação.

Então, apesar de o argumento ser muito comum, de maneira alguma ele é válido.

Mas existe uma outra razão ainda mais básica para rejeitá-lo:

Erro 2 – É apenas uma mentira

Uma dica: quando você encontrar um converso de alguma religião citando uma fonte, leia você mesmo!

E quando damos uma olhada na Enciclopédia Cristã Mundial (geralmente citada por apologistas romanos como Steve Ray, Tim Staples e seus seguidores), descobrimos que qualquer coisa dita por eles deve ser analisada de forma suspeitosa. Na enciclopédia encontramos o número de 33.820 denominações. Se os apologistas romanos ao menos lessem a própria fonte que citaram, eles iriam se dar conta de que essa não é uma lista de denominações resultantes da Reforma Protestante. 21.990 dessas denominações estão dentro da categoria “pós-denominacionalismo” e 11.830 na categoria denominacional. Protestantes, Católicos e Ortodoxos estão incluídos na categoria denominacional. Surpreendentemente essa fonte cita 242 denominações católicas romanas! Será que esses grupos surgiram por causa da Reforma? É claro que não!

Quando se trata da lista de denominações protestantes, o número apresentado é de 8.793. Ou seja, se compararmos com o número inicial de 30.000, vemos que os apologistas romanos o aumentaram em 300%!

Mas tem mais uma coisa! Esse não é o quadro completo! A medida que você analisa a lista de denominações “protestantes”, você irá descobrir que eles incluem grupos não-trinitarianos como o Pentecostalismo Unitário e outros grupos como os Adventistas do Sétimo Dia! Além de incluir denominações que abraçam abertamente o conceito de “revelação” no período atual, significando portanto que eles dificilmente afirmam a doutrina do Sola Scriptura.

Ironicamente, na página posterior da Enciclopédia é apresentada uma figura relatando o número de mártires durante a história da cristandade e os responsáveis por suas mortes. Olha só como ficou a lista:

1 – Governos ateístas: 55.597.000 mortes
2 – Governos seculares: 31.519.000 mortes
3 – Muçulmanos: 9.101.000 mortes
4 – Animistas: 7.469.000 mortes
5 – Catolicismo Romano: 4.951.000 mortes

Pois é, segundo a mesma enciclopédia, o Catolicismo Romano foi responsável pela morte de quase 5 milhões de cristãos. Por que será que os apologistas romanos também não citam essas estatísticas?

Conclusão

Concluímos portanto que o suposto número de denominações protestantes é extremamente inflado, pois inclui grupos (que claramente negam o Sola Scriptura) dentro da categoria Protestante. Logo, seu grande valor não se dá por causa do Sola Scriptura, mas apesar dele!

Escrito por: Erving Ximendes
Baseado em: The 33.000 denomination myth  – Dr. James White

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s